Trauma infantil

O trauma infantil pode ocorrer quando há abuso sexual, violência física ou emocional, perda dos pais (separação ou morte) e quando a criança testemunha acontecimentos de violência (assalto, violência entre os pais, etc). Essas situações deixam marcas profundas e cada vez lembradas, se aprofundam mais. Podem levar a danos psicológicos duradouros no desenvolvimento da criança, manifestando na vida adulta.  

A maior parte dos traumas ocorre no âmbito familiar, como: castigo em excesso, violência física e/ ou sexual, e o abandono nas questões da saúde, higiene corporal, alimentação, educacional. A criança é como uma esponja, absorvendo todos os acontecimentos à sua volta, dessa forma o trauma é facilmente absorvido.

Quando a criança vivencia situação traumatizante, acontece uma resistência psicológica, que pode não ser percebido no momento, porém ao longo do desenvolvimento surgem com alguns sinais. Podem surgir pesadelos, gritos durante o sono, enurese noturna (xixi na cama), apresentam medo de dormir, não quer ficar sozinha, ter comportamento de bebê e solicita atenção a todo o momento. Outra situação está relacionada ao sentimento de culpa; a criança se sente culpada pelo ocorrido e por tudo que acontece, e também apresenta um exagero no bom comportamento.

Com o passar do tempo a tendência é que essas conseqüências do trauma desapareçam. Porém, se persistir é necessário ajuda de um psicólogo infantil. Se o trauma infantil não for tratado, quando adulto, a pessoa sente que vive num mundo diferente dos outros. O trauma impede o processo de pensar, levando a desfragmentar o ego, sente-se inseguro, desconfiado e com medo de arriscar, e em alguns casos, desencadeia a síndrome do pânico.


Adelita Fátima de Almeida
Psicóloga Clínica
(11) 9 8289 4459

 Palavras-chave: trauma infantil, abuso sexual infantil, violência infantil, infantil, trauma