Medo

O medo é algo natural de todos os animais, incluindo o homem. Todas as pessoas têm medo de algo; como barata, assalto, solidão, avião, falar em público, entre outros.

O medo pode surgir a partir da experiência vivida. Se for atacado por um cão, toda vez que ver um cão irá sentir-se ameaçado, mesmo não querendo, a mente fará a associação. Também pode surgir de algo que não foi vivenciado, medo das coisas que a mente imagina que poderia acontecer; por exemplo, não fazer uma apresentação no trabalho, por medo que algo dê errado.

Na percepção de perigo a fuga é necessária para sobrevivência, porém há situações em que é preciso lutar. Vai depender da situação e também do limite de cada um. No momento de ameaça real, o medo é uma reação de proteção. Nos casos da imaginação da mente é imprescindível lutar, para que o medo não tome conta da nossa consciência e se torne uma fobia. Na fobia, a pessoa não enfrenta e nem foge, permanece paralisada.

É importante deixar claro que não é errado sentir medo, é o que nos faz, por exemplo, cumprir as tarefas no trabalho por medo de perder o emprego, portanto é fundamental em nossa vida.  O problema do medo é quando acarreta o sofrimento e prejudica o dia-a-dia da pessoa. Quando esse sentimento é excessivo, afeta diretamente a auto-estima, surgindo insegurança e depressão. Nesse caso é necessário cuidados psicológicos.

A questão está em saber administrar o medo, seja real ou imaginário. Como fazer? Procurar compreender a origem do medo, para conseguir lutar!

Adelita de Almeida
Psicóloga – CRP. 06/106407
psicolife@terra.com.br

Leia também..
Ansiedade
Depressão
Palavra-chave: medo real, medo imaginário, psicolife, adelita de almeida, psicóloga.